Yoga, equilíbrio na vida e nas viagens

Neste dia 21 de Junho é comemorado o Dia Internacional do Yoga. 

A data foi oficializada pela ONU em sua 69ª assembleia geral, realizada no dia 11 de dezembro de 2014 e recebeu a mais alta taxa de aprovação até então recebida numa assembleia da ONU, tendo recebido votos a favor por 175 nações.

A adoção da data visa a conscientizar sobre os benefícios do Yoga – prática ancestral nascida na Índia que visa à ampliação da consciência e espiritualidade – para um melhor estilo de vida individual e para desenvolver a saúde global.

Para comemorar esta data queremos compartilhar uma entrevista com Victor Sanchesprofessor de Yoga que atualmente dá aulas regulares em São Paulo/SP e também dizer que a nossa viagem vai sair em Setembro, na programação aulas de Yoga e de Culinária Vegana.

 

1- Há quanto tempo você pratica Yoga?
Pratico Yoga há mais ou menos 10 anos. Comecei quando ainda estava na faculdade e desde a minha primeira aula, nunca mais consegui ficar muito tempo afastado do tapetinho. Com o tempo a minha paixão por este conhecimento foi crescendo tanto que quando percebi já estava querendo dar aulas. O meu primeiro professor disse algo uma vez que acabei comprovando, “você dá um passo em direção ao Yoga, e o Yoga dá cem passos em direção a você”.

2 – Por que decidiu iniciar a prática de Yoga?
Comecei a traçar esse caminho até o Yoga, por incrível que pareça, através da Física Quântica. Depois de assistir uma palestra na faculdade fiquei demasiadamente interessado pelo assunto e comecei a ler muitos livros e a ver documentários pra tentar entender melhor todas aquelas teorias. Na época, o que mais me marcou foi o documentário “What the Bleep Do We Know!?” traduzido como “Quem somos nós?” e também todos os livros do físico Amit Goswami, como o “A janela visionária”, “O Universo Autoconsciente” e “A Física da Alma”.

O Amit acabou sendo a minha primeira ponte até a filosofia oriental. Nascido e crescido na Índia e tendo estudado nos EUA, Amit consegue traçar um paralelo muito interessante entre a antiquíssima filosofia da Índia com os conceitos mais modernos da física. Em um primeiro momento minha cabeça ficou muito confusa pois como era possível essa similaridade de interpretações e teorias sobre todo o universo mesmo com mais de 5 mil anos de diferença? Amit explica claramente como a visão dos velhos conceitos explicam a cosmologia do universo de uma forma absurdamente profunda e coerente. Como a tradição do Yoga vem junto com essas filosofias, todas as peças começaram a se encaixar.

 Com o tempo começou a ficar muito claro que esses estudos sobre o universo deixados pelas mais antigas civilizações do planeta eram os conceitos e teorias mais refinadas e sutis já criadas. Isso foi algo que eu comprovei por um caminho absolutamente racional, chega um momento que você fica sem argumentos diante da grandeza da sabedoria do Yoga. Quando você consegue ver além do que existe por trás de toda aquelas simbologias e compreender a verdadeira essência dessa filosofia, uau, um novo universo inexplorado se abre diante dos seus olhos e aí sim a grandeza desse legado espiritual da Índia pode ser compreendida. Você conclui que mesmo sem nenhuma tecnologia, os antigos yogues mapearam toda a nossa fisiologia material e sutil em seus profundos processos de introspecção. Como se tivessem conseguido entender todo o universo somente estudando a própria consciência.3 – Quais as principais mudanças que você sentiu no seu corpo?

A primeira coisa que eu percebi foi o tanto que eu era desatento com relação a minha postura e respiração, além de é claro, como o meu corpo era “travado”. Nas primeiras semanas acabei sentindo um pouco de dor em todo o corpo devido devido ao meu antigo sedentarismo, mas logo nos primeiros meses já comecei a sentir os benefícios físicos das práticas.

A qualidade do meu sono melhorou muito. Costumava ter insônia, perdia o sono muito fácil durante a noite e as vezes até a atravessava sem fechar os olhos. Essas crises incrivelmente desapareceram logo de início e consequentemente aquela letargia diária pela manhã onde nada parece te fazer sair da cama também diminuiu.

Outro benefício um pouco mais a longo prazo foi relacionado a respiração. O Yoga me ensinou a criar consciência da respiração e também re-expandiu meus pulmões. É bem chocante quando você percebe como respiramos de forma errada e ineficiente. Essas mudanças simples já deram uma super diferença na minha disposição diária.


4 – E na sua mente?
A ansiedade é a primeira coisa que eu notei diminuir bastante. Não que hoje eu seja uma pessoa completamente sem ansiedade, mas uma prática de Yoga é o antídoto mais eficiente quando estou muito acelerado. A sensação de bem-estar logo após a aula é algo que te faz ter certeza que a nossa verdadeira natureza é a paz e a bem-aventurança.

Apesar do Yoga ajudar a diminuir a frequência mental, ele nos ensina que devemos almejar pelo estado de além-mente. A “nossa mente é como um macaco bêbado picado por um escorpião”. A natureza da nossas mentes é a ação, o movimento, por isso aquele clichê de meditar é “não pensar em nada” é absolutamente mal interpretado. O Yoga nos ajuda a mapear e criar o domínio de nossa mente e ir além dela, pois é exatamente aí que habita a nossa verdadeira essência, esse estado de mais absoluta plenitude que existe dentro de todos e do qual ficamos tão distantes no nosso dia a dia.

Yoga é uma ferramenta que nos mostra essa nossa verdadeira natureza de plena felicidade, ele te torna mais integro consigo mesmo e com o universo, te faz brotar um sentimento de gratidão existencial e te dá uma nova perspectiva onde aquele “vitimismo” existencial é transformando em um desfrutar consciente da vida.


NOSSA SUPER VIAGEM PARA A ÍNDIA 2017 – 20 Set a 05 Out 

“Festival de Sabores Veggies… experiência pelo tradicional Oriente!

Um guia brasileiro saindo de São Paulo*. Mais um guia brasileiro esperando o grupo na Índia, só falta você nesta linda história… Índia Vegan Spirit 2017

 


 

5 – É possível praticar Yoga sem se envolver com a parte filosófica?

Não tem como dividir o Yoga em duas coisas. Por mais que você chegue no Yoga somente pelos “exercícios”, acredito que existe uma hora que você desperta para as outras dimensões da prática. Depois de algum tempo você entende que os ásanas (posturas) eram só uma minúscula ponta do iceberg e que o Yoga não é uma disciplina física, e sim uma vivência do corpo-mente.

Tive muita sorte no caminho te der encontrado pessoas maravilhosas que sempre me ensinaram a ver a Yoga como uma filosofia do corpo-mente e foi praticamente impossível eu não me abrir para a visão extremamente holística que ele tem. Os exercícios físicos são apenas uma pequena parte da filosofia, sem o estudo o Yoga não poderá te proporcionar a sua real potencialidade. É como se você cozinhasse um bolo maravilhoso e não o experimentasse depois de pronto. Apesar de também só trazer benefícios para o corpo, é uma pena quando algumas pessoas se limitam somente a parte física.
É importante dizer que se envolver com o Yoga não significa que existirá um confronto religioso com as suas crenças se é isso que muitas pessoas temem, pelo contrário, todo mundo pode vivenciá-lo de uma forma livre onde sua função é ser somente uma poderosa ferramenta de autoconhecimento.

6 – O que você diria para alguém que está interessando em começar a praticar Yoga?
Não perca mais um dia da sua vida sem Yoga. Conhecer e se aprofundar nessa filosofia de vida é um grande presente que você pode se dar. Hoje em dia não consigo ver a minha vida sem Yoga e tenho uma profunda gratidão por tudo o que ele me proporcionou e atualmente me proporciona. Esse meu envolvimento foi capaz de trazer para a minha vida pessoas e situações tão especiais que cada dia tenho mais a certeza de que devo continuar navegando neste barco. Mesmo como professor continuo sendo e sempre vou ser um eterno aprendiz. Vejo o Yoga como sendo um “sistema filosófico” mais completo já criado pelo homem. Uma abordagem que consegue ajudar a curar, orientar e significar todos os aspectos da vida humana, seja ele de natureza física ou psíquica.Com a prática constante depois de um tempo você começa a perceber que o verdadeiro Yoga não acontece somente em cima do nosso tapetinho durante 60 ou 90 minutos de aula. Aqueles que se aprofundam na prática entendem que o Yoga tem o real objetivo de ser um laboratório de sensações e reflexões que nos ajudam a revelar essa nossa verdadeira natureza de profunda plenitude e felicidade. E o real desafio é conseguir levar essa consciência para além da sala de prática. É conseguir expandi-lo para todas as dimensões do nosso dia a dia e vivenciá-lo diante dos desafios que a vida nos coloca. Vivenciar Yoga é conseguir levar consigo sempre essa presença invariável de consciência e plenitude para todas as nossas atitudes.
7 – Você recomenda o Yoga durante as viagens? Se sim, porque?
Recomendo muito, é uma combinação incrível! A prática de Yoga durante um pequeno período fora de casa irá te ajudar a manter uma rotina mais equilibrada. Além disso, durante as viagens o nosso desgaste físico e mental é gigantesco devido a grande quantidade de atividades e novidades desses dias. O Yoga te ajuda a viver tudo isso de forma mais consciente e profunda nesta  como se fosse também uma forma de recarregar as baterias físicas e drenar a ansiedade da mente para seguir seus passeios firme e forte, minimizando muito o desgaste. Em um nível mais sutil, a prática te ajuda a ficar mais atento as suas emoções para que suas experiências sejam ainda mais proveitosas para o seu processo de autoconhecimento.
8 – Você já conheceu Yoguis em suas viagens? Se sim, no que eles contribuíram para a sua prática?

Sim, já conheci muitos yoguis em minhas práticas, principalmente em retiros e festivais tanto aqui no Brasil quanto no exterior. Como o Yoga está envolto por uma cultura da paz, a grande maioria das pessoas estão sempre muito abertas ao diálogo, compartilhar a sua história e a sua busca. É muito provável que você leve muitas amizade para além da prática do Yoga.

E o maior ganho neste intercâmbio é entender os vários pontos das buscas de cada pessoa e encontrar algo em comum. Todo mundo está buscando a mesma coisa de formas diferentes. E este compartilhar faz com que a sua busca fique muito mais rica em todos os sentidos. Você ganha novos pontos de investigação sobre si, redimensiona os seus problemas e enxerga questões que muitas vezes não estávamos nem um pouco conscientes. Esta troca nos torna mais humanos, mais altruístas e nos abastece de boas energias para seguirmos nossos próprios caminhos.

Namastê! _/\_

Quer praticar Yoga com Victor Sanches? Abaixo alguns locais onde ele dá aula.

Espaço Natividade
Turmas de terças e quintas, das 8:30 às 9:30.
Rua Natividade, 72 A Vila Nova Conceição, São Paulo/SP
Tel.: 11 4328 – 9555 / Tel.: 11 4328 – 9556

Naam Yoga São Paulo
Turmas de segundas e quartas, das 19:00, às 20:00.
Rua Helena, 280 – conj. 1010 – Vila Olímpia – SP
Tel.: (11) 3841-9016

Yoga Inbound Unid. Avenida Paulista
Turmas de terças das 20:30 às 21:30 e de quintas das 21:00 às 22:00.
Rua Augusta, 1351- Sala 72
Tel: (11) 98711-4199

BioRitmo Unid. Avenida Paulista
Turmas de terças e quintas, das 19:00 às 20:00.
Av. Paulista, 2073, Terraço 2 Bela Vista, São Paulo, SP, 01311-940
Tel: (11) 3145-6555

Mais informações e contato:
yoga.victorsanches.com
Tel: (11) 98711-4199

Gostaria de ir para a ÍNDIA conosco? Enviamos todas as informações para você!


Deixe uma resposta